pesquisar neste blog
posts recentes

O motor da aplicação

Mód. TP6 – Testes

Mód. TP6 – Versão Beta

"Não descansaremos enquanto não pusermos o virtUA a crescer"

#1 BASTIDORES: Criação do Pavilhão I

Testes ao projecto Virtua

Jardinagem virtual: Luta contra os bugs!

Informações sobre versão Beta de Virtua

Mód. TP5 – Prototipagem de alta fidelidade (2/2)

Mód. TP5 – Prototipagem de alta fidelidade (1/2)

arquivos

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Quinta-feira, 24 de Fevereiro de 2011
Mód. TP1 – Enq. e exploração da proposta de projecto (parte 1/3)

Introdução

O espaço virtual passou a ser a forma predilecta de representação e simulacro da própria realidade. As visitas virtuais multiplicam-se assim como o uso de diferentes tecnologias para a sua elaboração.

O projecto UARhere insere-se neste contexto, porém, diferencia-se dos restantes projectos, pretendendo ser a memória viva da história do campus da Universidade de Aveiro – informação presente em vários arquivos públicos/privados.

Desta forma, serve o presente documento para apresentar o estado da arte que reúne uma análise de projectos similares com base em diferentes critérios e respectiva reflexão. De seguida, é apresentado o briefing que aborda conceitos como a visão, missão, valores, objectivos-chave e análise Swot.

 

Estado da Arte

 

Com o objectivo de perceber as necessidades que UARhere visa preencher, o Mercado em que actua e as tendências que nele vigoram, foi proposto por parte do corpo docente da unidade curricular de Projecto, o levantamento de alguns projectos similares quer ao nível técnico quer conceptual.

A pesquisa centrou-se no conceito-chave de visitas virtuais, sendo feita a sua selecção com base no contexto/ autores das aplicações e a qualidade destas últimas em termos de modelação, navegação e interacção. No que diz respeito à análise comparativa e descritiva dos diferentes projectos, os critérios fulcrais foram: a relevância, tecnologia, público-alvo e análise Swot a fim de entender quais são as características dos projectos existentes e o modo como pode-se estabelecer a unicidade e o sucesso do projecto UARhere.

"por limitações de espaço, partilhamos o acesso aos projectos analisados no estado da arte na nossa wiki:

wiki.ua.sapo.pt/wiki/UARhere#Estado_da_Arte

 

 Análise e reflexão sobre estado da arte 

 

Depois de reunida toda a informação relativa ao Estado da Arte, pode-se constatar que existem, actualmente, várias plataformas que permitem a transmissão de informação (histórica, artística, arquitectónica, etc). Estas estimulam diferentes processos cognitivos dos utilizadores (isto é, a percepção, memória, linguagem, etc).

Dado a inexistência de aplicações de partilha de informação histórica relativa a um contexto universitário, pode-se afirmar que o projecto de partilha de informação da Universidade de Aveiro é inovador, situando-se na vanguarda da tecnologia 3D e das visitas virtuais. Deste modo, há que destacar o posicionamento do projecto no mercado, em que este último, pode demarcar-se da concorrência pela oportunidade de diferenciação através da forte interacção e fotorealismo alcançado na componente gráfica.

 

UARhere apresenta, ainda, como vantagens competitivas:

ser uma mescla de todos os pontos positivos das aplicações analisadas;

- a sua inserção em contexto universitário;

- o suporte online;

-  a navegação histórica da UA num ambiente virtual 3D ;

- o facto da informação disponível  estar imersiva na própria realidade virtual;

 

estudo da arte permitiu, assim, estimar algumas funcionalidades potenciais, tendo por base os pontos fortes dos projectos analisados. A citar:

 

-  Criação de um ambiente de navegação virtual que permita, de forma equilibrada, a exploração dos conteúdos pretendidos por cada utilizador;

-  Partilha de informação histórica, através de links contextuais;

- Qualidade de informação textual e técnica; 

- Ergonomia visual integrada numa estrutura gráfica;

- Navegação fácil e perceptível, a fim de proporcionar um elevado nível de satisfação e eficiência;

- Tecnologia eficaz e fortalecida ao nível da usabilidade, que promova visitas regulares do público-alvo e motive o utilizador;

-  Novos mecanismos de ajuda e suporte ao utilizador;

 

 

Por fim, analisando o conjunto de pontos fracos das diferentes aplicações, torna-se imperativo evitar:

 

Instalação de software adicional ou programas externos ao browser, registos e actualizações constantes;

Complexidade de opções para novos utilizadores;

- Uso da informação para promover a tecnologia;

- Necessidade de requisitos de hardware muito avançados;

-  Excesso de informação, a fim de não sobrecarregar o utilizador;

Unicidade relativa aos dispositivos de entrada e/ou saída;

 

Além dos projectos apresentados, foram analisados muitos outros projectos. No entanto, o grupo de trabalho considerou mais vantajoso a selecção de alguns projectos, em nossa opinião, melhor representativos do trabalho que se quer realizar. Caso tivessem sido apresentados todos os projectos pesquisados, poderia gerar confusão e excesso de informação desnecessária.  

 

Posicionamento

 

A aplicação a resultar deste projecto provem da investigação sobre estratégias e instrumentos que permitam visitas virtuais online, que tenham uma forte relação com o património imaterial e instituições.

Assim sendo é a criação dum projecto online com o conceito de visita englobando uma componente histórica e uma evolução do passado até actualidade, constitui, uma vantagem competitiva face aos demais projectos, que normalmente não é apresentado.

O posicionamento de um produto/serviço obriga, em regra geral, que se estabeleça um termo de comparação para os demais produtos idênticos ou afins, pelo que foi de enorme importância a análise do estado da arte, que irá permitir essa diferenciação com os restantes projectos.

Existe uma grande variedade de características que podem servir de base à diferenciação, contudo vamos apenas dar ênfase, nesta primeira fase projectual, às qualidades gerais da aplicação, tendo em consideração a adequação do mesmo para os diversos tipos de utilizadores ou certas categorias de utilização, não descurando as características próprias que conferem personalidade própria ao produto.

Segundo Kotler[1] essa diferenciação deve ser conseguida em função da sua  importância (valor entregue aos stakeholders), da sua distintividade (tal valor não é entregue pela concorrência), pela sua superioridade (nível do valor mais elevado que outros, a fazer o mesmo), pela comunicabilidade (tal valor visível pelos utilizadores), também pela antecipação e disponibilidade, e por fim pela rentabilidade (neste projecto não se coloca, pelo menos para já, a possibilidade de atingir lucro, mas é imperioso que as despesas não ultrapassem o previsto, no presente e futuro).

De acordo com a identidade própria do projecto e com a análise do estado da arte, conclui-se que a aplicação a tem de seguir quatro linhas mestras, sendo elas a originalidade, a simplicidade, a credibilidade e, igualmente importante, a pertinência.

 



[1] Kotler, Philip. MARKETING MANAGEMENT. Analysis, Planing, Implementation, and Control. Prentice-HaInternationalEditions,USA,7ªediçäo,1991.

 

 


tags:

publicado por palexandre às 22:04

pesquisar neste blog
mais sobre mim

goncalvessilva

lilianavale

palexandre

pedro-charneca

Junho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


arquivos

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

tags

todas as tags

subscrever feeds

RSSPosts

RSSComentários

RSSComentários do post

posts recentes

O motor da aplicação

Mód. TP6 – Testes

Mód. TP6 – Versão Beta

"Não descansaremos enquanto não pusermos o virtUA a crescer"

#1 BASTIDORES: Criação do Pavilhão I

Testes ao projecto Virtua

Jardinagem virtual: Luta contra os bugs!

Informações sobre versão Beta de Virtua

Mód. TP5 – Prototipagem de alta fidelidade (2/2)

Mód. TP5 – Prototipagem de alta fidelidade (1/2)